quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

postheadericon Saravá os Marinheiros


Saravá os Marinheiros
Salve a Marujada

Tú sabes o que é um Marinheiro, Marujo, Capitão do Mar?
Marinheiro – Hierarquia Militar.
Marujo – Conjunto de Marinheiro, Marítimo.
Capitão do Mar – Responsável pela embarcação.
Marinharia – arte ou profissão de marinheiro.
Marítimo – marinho, que ocorre no mar ou se faz pelo mar.
O que exerce atividades profissionais a bordo de uma embarcação.
Marujada – aglomeração de Marujos
Marulho – Movimento permanente das águas do mar ocorre em alto mar.
Maré – Movimento periódico das águas do mar, pelo qual elas se elevam ou se abaixam em relação a uma referencia fixa no solo. É causado especialmente pela atração gravitacional do Sol e da Lua.
Maré Alta cheia – Fase da Maré em que as águas atingem altura máxima, antes de começar a baixar, maré cheia, preamar, montante.
Maré Baixa – Fase da Maré em que as águas estão em altura mínima, antes de começarem a se elevar, baixa-mar.
Maré Sizígia – Maré de grande amplitude, que se segue ao dia de Lua cheia ou de Lua Nova.
Navio – Embarcação de grande porte.
Nauta – marinheiro, navegador.
Náutica – ciência e arte de navegação sobre água, navegação.
Naval – relativo o navio ou a navegação viagem ao mar.
Escuna – antigo navio a vela.
Embarcadiço – marinheiro, marujo.
Embarcação – qualquer construção destinada a navegar sobre a água.
Marola – ondulação na superfície do mar.

Todo bom marujo, precisava antes de qualquer coisa, amar o mar, a vida das embarcações, saber que abrirá mão do contato e convívio familiar.
Todos que atuam na proa eram ensinados pelos Mestres Marujo, a astrologia, o poder dos Astros, Lua, Sol, Estrelas e entender a influência sobre o Mar e conseqüentemente isso é que dava o inicio para que se navegasse ou conduzisse uma embarcação no Mar.
Existia um manual, astrolábio que indicava o caminho, a rota e o vento que é o grande navegador dos movimentos dos navios.
Os navios sempre foram utilizados desde épocas antigas como meio de comunicação entre os países, troca de mercadorias nativas, conhecimento de novas culturas, comidas, palavras, costumes entre povos, pois foram os marujos que faziam essa ponte entre os países.
Hora levando mercadorias, especiarias, bebidas, artesanatos e etc.
E durante muito tempo esse foi o grande comércio realizado e que foi classificado mais tarde como importação e exportação.
Sem contar que a influência dos costumes em que os marinheiros levavam de um local para o outro. Espécies de plantas, flores, vegetais, frutas, sementes, todas as partes vegetais foram transportados pelas embarcações no Mar.
Os marinheiros são grandes conhecedores da natureza, respeitadores e conhecedores das mudanças dos Astros e o poder da natureza ao qual rege o Mar.
Sabem conviver com as dificuldades e adversidades da Vida.
Os espíritos que atuam na linha dos marinheiros na Umbanda. Gostaria de dizer que os marinheiros, começaram a sua manifestação dentro das casas, terreiros, templos e tendas Umbandistas. Segundo minhas pesquisas em meados dos anos de 1940 que começaram a se manifestar, como marinheiros, mas pelo fato de serem regidos por Mãe Yemanjá e terem influencia magnética da essência do mar ele “tombaram para frente e para trás” isso sem contar a maneira simples, alegra, maleável, e até um pouco divertida, “julgava” esses espíritos como sendo “bêbados”, ou seja, que ao incorporar no médium pelo fato de a suas vibrações são ondeantes, ate seu “falar” ficava um pouco mole, um jeito meio marujo de ser.
Pois foram consideradas pessoas irresponsáveis e que fugia dos seus compromissos viajando no Mar.
Sofreram todo tipo de preconceito. Pois, muitos terreiros de Umbanda, não os aceita e não trabalha com essa linha julgando-a sem saber, o verdadeiro fundamento.
Brincalhões, alegres, é sua grande marca como diz o marinheiro com quem trabalho.
“É preciso ser sério e carrancudo para ser evoluído”.
Os marimbundos são aqueles que por não conseguir dobrar ou mandar nos outros se entregam em suas infinidades frustrações.
Afundar em seus erros não significa que ao ir às profundezas do Mar você estará salvo. Se punir enrolando-se numa corda e dando vários nós, faz com que você aprenda a não errar mais. Fazer-se de vitima e lançar-se ao Mar sem saber nadar, para mim é inconseqüência de seus atos. Pular em uma embarcação sem saber o destino, só para não conviver com as diferenças de pessoas, situações, é fugir das responsabilidades.
No momento da tormenta do seu temporal violento, cruza os braços e deixam que os outros façam o que você tem que fazer olhar os outros correndo de um lado para o outro tentando controla a embarcação e simplesmente não fazer nada para ajudá-lo, seria o ato de mais prepotência e inércia mental que conheço.
Leva flores, oferendas, para Mãe Yemanjá, mais não respeitar o local Sagrado e pedem, pedem,pedem proteção a Divina Mãe da Vida, mas no momento que a LEI o pressiona para ver se merece o amparo das Divindades, o moribundo não faz nada para se auto ajudar, ou melhorar sua mente incrustada com outros seres, corroído pelo orgulho.

Salve a Mãe do Mar
Salve a Rainha do Mar
Salve Mãe Yemanjá
E Salve eu hahahahaha
O Marujo Jarinu

Jayrunum

Texto: Mãe Monica Berezutchi

1 comentários:

GanhosWeb disse...

Olá!
Gostaria de ganhar uma renda extra com seu blog trabalhando 1 hora por dia em seu computador?
Não se trata de vendas e nem indicar pessoas.
Acesse: www.ganhosweb.com